GREVE NA EDUCAÇÃO CONTINUA FIRME E CRESCENTE

0 4

26/02/2016

O Sinte-PI comunica que a greve continua firme e crescente em todas as regionais do Piauí, por falta de proposta decente do governo do estado.

No final da tarde da quinta-feira (25/02), a direção do Sinte-PI foi convocada para uma reunião de última hora com o Secretário de Administração, Franzé Silva, por solicitação do deputado Estadual João de Deus, líder o governo da Assembleia Legislativa.  No entanto, a reunião não teve avanços para a categoria.

Com uma “proposta”, ainda não oficializada e desencontrada entre os representantes do governo, de pagamento do piso dos professores em duas parcelas que, segundo o superintendente de educação Carlos Alberto Pereira seria uma parcela retroativa a janeiro a ser paga em março e a outra em agosto, sem anuncio de percentuais; E outra apresentada pelo secretário de Administração Franzé Silva que diz que a segunda parcela será paga Outubro.

E agora, Qual é a proposta certa?

O SINTE-PI não recebeu nenhum documento com proposta diferente da última em três parcelas para os professores.

Já para os administrativos a reivindicação é o reajuste de 11,68%, conforme reajuste do salário mínimo, já que a maioria recebe igual ao salário mínimo. O governo nem fala em reajuste este segmento.

O grupo operacional que ainda não recebeu os 4% restantes do acordo de reajuste do ano passado, aguarda, além do reajuste a sansão da lei que regulamenta o reenquadramento deste segmento; Os Técnicos de nível médio e superior, aguardam a alteração na lei para que possam ser reenquadrados e o cumprimento do pagamento de 2/6. O grande prejuízo que a sansão da lei provoca nos trabalhadores, além de salários rebaixados e defasados, é a impossibilidade dos servidores se aposentarem.

A contraproposta que foi aprovada em assembleia (17/02/16) e encaminhada ao governo foi a seguinte:

Magistério – Pagamento do reajuste dos profissionais do magistério em parcela única, no percentual de 11,36%, de forma linear, para ativo, inativo e pensionista, retroativo a janeiro de 2016.

Administrativo:

GRUPO OPERACIONAL DE SERVIÇOS – O reajuste no mesmo percentual do salário mínimo sob os vencimentos desse grupo, considerando o valor do vencimento acordado com no ano de 2015, ou seja, com o reajuste de 13%, retroativo a janeiro de 2016,  conforme a tabela em anexo.

GRUPO OCUPACIONAL DE NÍVEL TÉCNICO – Aceita o pagamento em duas parcelas, como proposto pelo Governo, ou seja, 2/6 retroativo a janeiro de 2016 e 4/6 em janeiro de 2017, no entanto, a tabela contida na Lei nº 6.560/2014, seja reajusta no mesmo percentual do salário mínimo.  Devendo  conter a tabela de reajuste referente ao ano de  2016 e a tabela de reajuste prevista para o ano de 2017, conforme tabela em anexo.

GRUPO OCUPACIONAL DE NÍVEL SUPERIOR – Aceita o pagamento em duas parcelas, como proposto pelo Governo, ou seja, 2/6 retroativo a janeiro de 2016 e 4/6 em janeiro de 2017, no entanto, a tabela contida na Lei nº 6.560/2014, seja reajusta no mesmo percentual do salário mínimo.  Devendo conter a tabela de reajuste referente ao ano de  2016 e a tabela de reajuste prevista para o ano de 2017, conforme tabela em anexo.

REENQUADRAMENTO DOS TÉCNICOS E SUPERIORES – Que seja feito o reenquadramento dos técnicos e dos superiores com os mesmos critérios que foram feitos para o grupo operacional de serviço.

DATA BASE – Que seja determinada por lei a data base para os trabalhadores em educação no mês de janeiro.

A direção do SINTE-PI aguarda o posicionamento do governo sobre a proposta supracitada.

Nova assembleia dia 29/02/2016, na Praça da Bandeira, às 9 horas.

SOMOS FORTES, SOMOS SINTE-PI!

 

Deixe uma resposta